O verão ainda não acabou

Não acabou o verão e a natureza anda instável.

Começamos com pão doce, do senhor do parque da cidade, e broa da Cristina para dar suporte ao patê de batata doce com ervas e ao pesto de couve. Os enchidos da dona Octávia também estavam na mesa.

Fizemos uma sopa de cavala marinada, com um bonito caldo espremido das espinhas e cabeças assadas. Depois, uma açorda migada com ovas, de aveia em vez de pão: papas de aveia salgadas de bacalhau, ovas e coentros, para ser correcto.

O prato de carne foram bochechas de porco preto em vinho tinto, arroz de grelos e curgete assada. 

No dia anterior estivemos na Figueira da Foz a colher sal e no caminho trouxemos pastéis de Tentúgal. Foi isso a sobremesa, com uma crostata de doce de abóbora - o Paulo já tem abóboras que quase não precisam de açúcar para fazer doce!