en-Beldroegas

As beldroegas são uma pequena maravilha da natureza que nasce debaixo dos nossos pés sem darmos conta. Não é fácil encontrarmos no norte - ou é, se olharmos para as bermas da estrada elas estão lá, mas não queremos comer essas. Queremos as que nascem selvagens mas nos campos, na terra húmida.

 Há dias estavam três molhos de beldroegas sorridentes no mercado do parque da cidade. Conversámos e decidimos juntar os tomates da caixa ao lado e fazer um jantar alentejano.

Enchidos da dona Octávia, paio, lombo, cachaço, cabeça de xara, tudo de porco preto, mais farinheira e cachoeira e morcela, queijos da Cegarrega e de Azeitão (é além Tejo, de qualquer forma) e pão claro está.

Depois açorda com muitos coentros, sopa de beldroegas e sopa de tomate com os mesmo enchidos e figos. E mais pão, sempre pão.

A sobremesa foi sericaia com ameixas de Elvas. O vinho, e faz-se aqui excepção para o nomear, foi de várias idades e cores, mas sempre dos Outeiros Altos.